Orgão Oficial

CBC - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Journal of the Brazilian College of Surgeons

Português

Capa

English

Capa

Ano 2016 - Volume 43 Número 6
Novembro / Dezembro

Editorial

1 - Pesquisa em cirurgia

Research in surgery

Aldo Cunha Medeiros, ECBC-RN

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):407-409

PDF PT PDF EN


Artigo Original

2 - Epidemiologia dos atendimentos por urolitíase no Vale do Paraíba

Epidemiology of urolithiasis consultations in the Paraíba Valley

Guilherme Ricardo Nunes Silva; Luiz Carlos Maciel

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):410-415

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: conhecer o perfil epidemiológico dos pacientes com urolitíase, na região do Vale do Paraíba, identificando sua prevalência e distribuição espacial.
MÉTODOS: estudo transversal com dados de morbidade por local de residência decorrente de urolitíase no Vale do Paraíba, relativos ao período compreendido entre 2010 e 2012, obtidos do DATASUS. Os dados foram analisados para identificar a prevalência geral, masculina e feminina da urolitíase, a distribuição por idade, tipo de atendimento, estação do ano e sua distribuição espacial.
RESULTADOS: ocorreram 1901 atendimentos por urolitíase nos 35 municípios do Vale do Paraíba nos três anos estudados, sendo 52,3% dos pacientes do sexo feminino. Do total, 70,1% dos atendimentos foram em caráter de urgência. Os atendimentos femininos, na sua maioria (67,2%), também foram de urgência (p<0,01). A prevalência geral encontrada para a urolitíase foi 31,7/100.000 habitantes. A prevalência masculina foi 30,7/100.000 e a feminina de 32,7/100.000 (p>0,05). A relação de prevalência encontrada foi 0,9 homens para cada mulher. A faixa etária com o maior número de pacientes atendidos foi entre 30 e 39 anos, com 23,1% do total. Nas estações quentes ocorreram 51,6% dos atendimentos, enquanto nas frias 48,8% (p>0,05).
CONCLUSÕES: foi possível identificar que na região do Vale do Paraíba o sexo feminino é mais acometido pela urolitíase do que o masculino, fato inédito na literatura. Não se encontrou relação entre a estação do ano e a doença. Foram identificados municípios onde ações de prevenção da litogênese urinária são necessárias.


Palavras-chave: Urologia. Urolitíase. Epidemiologia.

3 - Estudo comparativo entre tela de polipropileno e poliglecaprone com tela de polipropileno na formação de aderências intraperitoneais

Comparison between polypropylene and polypropylene with poliglecaprone meshes on intraperitoneal adhesion formation

Maria de Lourdes Pessole Biondo-Simões, TCBC-PR; Wagner Augusto Schiel; Mayara Arantes; Tatiane da Silveira; Rogério Ribeiro Robes; Flávio Daniel Saavedra Tomasich, TCBC-PR

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):416-423

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: comparar a formação de aderências intraperitoneais em ratos, com o uso de tela de polipropileno e tela composta de polipropileno e poliglecaprone.
MÉTODOS: vinte ratos Wistar machos, foram alocados em dois grupos. No grupo 1 os ratos receberam tela de polipropileno no lado direito e tela de polipropileno e poliglecaprone no lado esquerdo. No grupo 2 inverteu-se a posição das telas. Analisou-se a presença ou não de aderências após 30 dias, sendo incluídas apenas aderências sobre as telas. Os resultados foram submetidos à análise estatística, adotando-se como nível de significância p≤0,05.
RESULTADOS: todas as telas se apresentaram com aderências. Verificou-se que, na tela de polipropileno, a porcentagem de superfície coberta por aderências variou entre 10,5 a 100%, com média 34,07±24,21% enquanto que na tela de polipropileno e poliglecaprone a porcentagem de tela coberta por aderências variou entre 8,5 a 100%, com média 44,7±32,85% (p=0,12).
CONCLUSÃO: ambas as telas dão origem às aderências, não havendo vantagem de aplicação no reparo intraperitoneal de uma em relação à outra.


Palavras-chave: Hérnia. Aderências Teciduais. Telas Cirúrgicas. Estudo Comparativo.

4 - Derrame pleural parapneumônico: realidade e estratégias em um hospital universitário na Amazônia

Parapneumonic pleural effusion: reality and strategies in an Amazon university hospital

Claudia Giselle Santos Arêas; Geraldo Roger Normando Júnior, TCBC-PA; Orlando Sandoval Farias Júnior; Irna Carla Do Rosário Souza Carneiro

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):424-429

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: definir o perfil e analisar a evolução pós-operatória de crianças com derrame pleural parapneumônico (DPP), bem como, avaliar estratégias utilizadas na vigência de limitações diagnóstico-terapêuticas, enfatizando a drenagem torácica aberta (DTA).
MÉTODOS: estudo transversal, prospectivo, analítico, no qual foram acompanhadas as crianças admitidas em um hospital universitário da Amazônia com o diagnóstico de DPP abordado cirurgicamente, no período entre outubro de 2010 a outubro de 2011.
RESULTADOS: foram estudados 46 pacientes, a maioria menor de três anos de idade (74%), sem predominância de sexo. Significativa parcela da amostra (28%) possuía índice de massa corpórea inadequado. Baixa estatura foi encontrada em cinco pacientes (11%), que tenderam, em geral, à pior evolução pós-operatória, quando comparados com as crianças de estatura normal (p=0,039). A duração média dos sintomas à admissão foi 16,9 dias. O empiema foi diagnóstico comum na primeira intervenção cirúrgica (47,8%), e seus portadores apresentaram maior duração da drenagem torácica (p=0,015). A maioria das crianças (80,4%) foi operada apenas uma vez. A média de dias de internação hospitalar foi 25,9 dias. A drenagem torácica fechada em selo d'água foi a cirurgia mais realizada (85%), precisando ser convertida em DTA em 24% da amostra e toracotomias foram raras (4%). Não houve óbitos.
CONCLUSÃO: os indivíduos estudados possuíam frequentemente doença avançada e distúrbios nutricionais, repercutindo na evolução clínica. A DTA permanece como uma opção válida para situações específicas, e novos estudos ainda são necessários para confirmação.


Palavras-chave: Pneumonia. Derrame Pleural. Empiema Pleural. Criança. Cirurgia Torácica.

6 - Privação do sono e sonolência excessiva em médicos residentes e estudantes de medicina

Sleep deprivation and drowsiness of medical residents and medical students

Kátia Sheylla Malta Purim; Ana Tereza Bittencourt Guimarães; Ana Cláudia Kapp Titski; Neiva Leite

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):438-444

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a qualidade de sono e a sonolência diurna de residentes comparando com estudantes de medicina.
MÉTODO: foram aplicados questionário sociodemográfico, Índice de Qualidade do Sono de Pittsburg (PSQI) e Escala de Sonolência de Epworth (ESE) numa população de residentes e estudantes de medicina.
RESULTADOS: participaram 105 residentes e 101 estudantes da graduação médica. Os residentes apresentaram maior média do PSQI (6,76+2,81) com pior qualidade de sono quando comparados aos acadêmicos (5,90+2,39); ambos tiveram medidas semelhantes de sonolência pela ESE (p=0,280), porém os residentes mostraram menor duração e pior qualidade subjetiva de sono.
CONCLUSÃO: estudantes e residentes apresentaram privação de sono indicando necessidade de ações preventivas na área médica.


Palavras-chave: Transtornos do Sono-Vigília. Distúrbios do Sono por Sonolência Excessiva. Educação Médica.

7 - Análise comparativa dos efeitos do óleo-resina de Copaifera multijuga e da nitrofurazona na cicatrização de ferida cutânea

Comparative analysis of the effects of Copaifera multijuga oil-resin and nitrofurazona in the cutaneous wound healing process

Carlos Augusto Nunes Martini; João Guilherme Seifert Scapini; Luiz Martins Collaço; Anderson Matsubara; Valdir Florêncio da Veiga Júnior

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):445-451

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar histologicamente e macroscopicamente a influência do óleo-resina de Copaifera multijuga no processo de cicatrização de feridas cutâneas, comparando com o grupo submetido ao uso da nitrofurazona.
MÉTODOS: foram utilizados 36 ratos, divididos em três grupos de 12 animais, conforme o tratamento a ser administrado. Grupo SF (controle, recebeu soro fisiológico sobre a lesão), Grupo ÓLEO (tratamento tópico com óleo de Copaíba), Grupo NITRO (tratamento tópico com Nitrofurazona). Foi confeccionada uma ferida circular de 8mm de diâmetro no dorso de cada animal. Cada um dos três grupos de 12 animais foi subdividido em três subgrupos, de acordo com o tempo de tratamento e de eutanásia (7, 14 e 21 dias). Todos os animais receberam o tratamento proposto diariamente. As lesões foram fotografadas para mensuração de sua área, bem como, avaliados aspectos macroscópicos. As cicatrizes foram ressecadas e coradas, para quantificar e qualificar as fibras elásticas, colágenas, grau de epitelização, neovascularização e inflamação.
RESULTADOS: embora o soro fisiológico tenha proporcionado um fechamento mais rápido da ferida em sua fase inicial, a partir de 14 dias o tamanho das feridas dos três grupos testados se equivaleu. Níveis de inflamação e neovascularização foram semelhantes nos três grupos. A quantidade de fibras colágenas e elásticas foi maior nos grupos Nitrofurazona e Óleo de Copaíba.
CONCLUSÃO: em ratos machos da linhagem Wistar, o óleo-resina de Copaifera multijuga influencia positivamente no processo de cicatrização, porém é menos eficaz que a nitrofurazona na cicatrização por segunda intenção.


Palavras-chave: Cicatrização. Plantas Medicinais. Colágeno. Colágeno Tipo I. Colágeno Tipo III.

8 - Reconstrução de face e couro cabeludo após mordeduras caninas em crianças

Reconstruction of face and scalp after dog bites in children

Jefferson Lessa Soares Macedo, TCBC-DF; Simone Corrêa Rosa; Murilo Neves de Queiroz; Tabatha Gonçalves Andrade Castelo Branco Gomes

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):452-457

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a conduta de reconstrução imediata de face e couro cabeludo após mordedura canina em crianças.
MÉTODOS: série prospectiva de casos atendidos na Unidade de Emergência do Hospital Regional da Asa Norte, Brasília/DF, no período de janeiro de 1999 até dezembro de 2014. No momento da admissão do paciente à emergência, foi realizado o fechamento primário da ferida proveniente de mordedura em face e couro cabeludo, independente da hora ou dia da agressão. O tratamento primário das mordeduras foi realizado por meio de sutura direta, retalhos ou enxerto, conforme o tipo da ferida e da decisão do cirurgião.
RESULTADOS: o estudo compreendeu 146 crianças, sendo que a região zigomática e o couro cabeludo foram os principais sítios das mordeduras na cabeça. Todos os pacientes receberam tratamento cirúrgico dentro das primeiras 24 horas após a admissão. Não houve complicações infecciosas nos casos estudados.
CONCLUSÃO: os achados sugerem que o fechamento imediato das mordeduras caninas em face e couro cabeludo em crianças é seguro, mesmo quando realizado várias horas após a lesão.


Palavras-chave: Face. Couro Cabeludo. Mordeduras e Picadas. Cães. Criança. Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos.

9 - Avaliação do atendimento às vítimas de acidentes de trânsito por plantonista clínico e cirurgião na sala de emergência hospitalar

Evaluation of care for traffic accidents victims made by on duty emergency physicians and surgeons in the emergency room

Vlaudimir Dias Marques; Mauricio Medeiros Lemos; Cesar Orlando Peralta Bandeira, ACBC-PR; Amélia Cristina Seidel; Sandra Maria Peloso; Maria Dalva de Barros Carvalho

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):458-465

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar o atendimento às vítimas de acidentes de trânsito por médicos plantonistas cirurgiões e/ou clínicos na sala de emergência hospitalar.
MÉTODOS: estudo retrospectivo, descritivo e exploratório do atendimento às vítimas de acidentes de trânsito da área urbana de Maringá-PR, entre julho de 2013 e julho de 2014, em hospitais referenciados. Questionário aplicado aos médicos plantonistas avaliou dados demográficos e a formação profissional.
RESULTADOS: dos 688 prontuários avaliados, 99% apresentavam Revised Trauma Score pré-hospitalar de 12. Análise estatística mostrou que nos atendimentos feitos por Clínicos (n=187), a anotação dos escores da Escala de Coma de Glasgow e a realização de procedimentos cirúrgicos foram feitas em menor número e, em contrapartida, a anotação dos valores de pressão arterial sistêmica foi realizada em maior número quando comparados com atendimentos feitos por Cirurgiões (n=501). Houve relação estatisticamente significativa (p<0,01) entre o tempo de permanência hospitalar e a especialidade cirúrgica, com maior chance (OR bruta=28) observada no período de uma a seis horas para o grupo atendido pelos Clínicos. A maioria dos plantonistas que participaram do estudo eram jovens, com tempo de atividade em sala de emergência hospitalar de um a dois anos e com capacitação no curso do ATLS. Entre os que participaram do curso do ATLS, 60% o fizeram nos últimos quatro anos. Cirurgiões realizaram 73% dos atendimentos hospitalares.
CONCLUSÃO: nos atendimentos às vítimas de trânsito com lesões leves, a Escala de Coma de Glasgow, os níveis de pressão arterial sistêmica, o tipo de tratamento na sala de emergência e o tempo de internação hospitalar tiveram abordagens diferentes entre Clínicos e Cirurgiões.


Palavras-chave: Acidentes de Trânsito. Clínicos Gerais. Cirurgiões. Serviços Médicos de Emergência. Avaliação de Programas e Instrumentos de Pesquisa.

10 - Tumor odontogênico ceratocístico

Keratocystic odontogenic tumor

Brenda de Souza Moura; Maria Aparecida Cavalcante; Wagner Hespanhol

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):466-471

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: avaliar a frequência do tumor odontogênico ceratocístico (TOC) no Serviço de Cirurgia Oral (SCO) do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (HUCFF/UFRJ), no que diz respeito à taxa de recidiva, ao sexo, à idade de recorrência e à localização da lesão.
MÉTODOS: foram examinados os prontuários clínicos e laudos histopatológicos de pacientes do SCO do HUCFF/UFRJ no período de 2002 a 2012. Os pacientes diagnosticados com TOC foram divididos em dois grupos quanto à ocorrência de recidiva: positivo (n=6) e negativo (n=19).
RESULTADOS: com relação à localização, houve predileção pela mandíbula. Em relação à média de idade dos pacientes, no grupo positivo foi 40,5, e no grupo negativo, de 35,53. Na distribuição por sexo, o grupo positivo apresentou distribuição igualitária, diferentemente do observado no grupo negativo, em que predominou o sexo masculino.
CONCLUSÕES: o TOC representou a segunda lesão mais frequente em nossos pacientes, tem menor recidiva no sexo masculino e tem a mandíbula como localização mais acometida.


Palavras-chave: Tumores Odontogênicos. Recidiva. Diagnóstico Diferencial.

Artigo de Revisão

5 - Modelo preditivo integrado para a presença de câncer de próstata utilizando dados clínicos, laboratoriais e ultrassonográficos

Integrated predictive model for prostatic cancer using clinical, laboratory and ultrasound data

Gustavo David Ludwig, AcCBC-SC; Henrique Peres Rocha; Lúcio José Botelho; Maiara Brusco Freitas

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):430-437

Resumo PDF PT PDF EN

OBJETIVO: desenvolver um modelo preditivo para estimar a probabilidade de câncer prostático previamente à biópsia.
MÉTODOS: de setembro de 2009 até janeiro de 2014, 445 homens foram submetidos à biópsia prostática em um serviço de radiologia. Pacientes com doenças que pudessem comprometer a análise de dados, submetidos à ressecção prostática ou usando inibidores de 5-alfa-redutase foram excluídos do estudo. Dessa forma, 412 pacientes foram selecionados. Variáveis incluídas no modelo foram idade, antígeno prostático específico (PSA), toque retal, volume prostático e achados ultrassonográficos anormais. Curvas de Características Operacionais (ROC) foram construídas e áreas sob a curva foram calculadas, assim como os Valores Preditivos Positivos (VPP) do modelo.
RESULTADOS: dos 412 homens, 155 (37,62%) tinham câncer de próstata (CAP). A média da idade foi 63,8 anos, a mediana do PSA foi 7,22ng/ml. Além disso, 21,6% e 20,6% dos pacientes apresentou anormalidades no toque retal e imagem sugestiva de câncer pela ultrassonografia, respectivamente. A mediana do volume prostático e da densidade do PSA foram 45,15cm3 e 0,15ng/ml/cm3, respectivamente. Análises univariada e multivariada demonstraram que apenas cinco fatores de risco estudados são preditores de CAP no estudo (p<0,05). A densidade de PSA foi excluída do modelo (p=0,314). A área sob a curva ROC para predição de CAP foi 0,86. O VPP foi 48,08% para sensibilidade de 95% e 52,37% para sensibilidade de 90%.
CONCLUSÃO: Os resultados indicam que informações clínicas, laboratoriais e ultrassonográficas, além de serem facilmente obtidas, podem estratificar melhor o risco de pacientes que serão submetidos à biópsia prostática.


Palavras-chave: Neoplasias da Próstata. Biópsia. Antígeno Prostático Específico.

13 - Opções terapêuticas endovasculares para o tratamento dos aneurismas aortoilíacos

Endovascular therapeutic options for the treatment of aortoiliac aneurysms

Bernardo Massière; Arno von-Ristow; Alberto Vescovi; Daniel Leal; Lea Mirian Barbosa Fonseca

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):480-485

Resumo PDF PT PDF EN

Cerca de 20% dos pacientes com aneurismas de aorta abdominal apresentam aneurismas ilíacos associados. A obtenção do selamento distal, durante o tratamento endovascular dos aneurismas aortoilíacos, constitui-se em um desafio que suscitou, ao longo dos anos, o surgimento de diversas opções técnicas para alcançar esse objetivo. A embolização da artéria ilíaca interna é associada ao risco de desenvolvimento de complicações isquêmicas, tais como: necrose glútea, déficit neurológico dos membros inferiores, isquemia colônica, impotência e claudicação glútea. Esse artigo resume as opções técnicas de tratamento endovascular dos aneurismas aortoilíacos com diferentes formas de abordagem de preservação da perviedade das artérias ilíacas internas.


Palavras-chave: Aneurisma Aórtico. Artéria Ilíaca. Procedimentos Endovasculares.

14 - Comparação da simpatectomia torácica realizada em níveis altos e baixos para o tratamento da hiperidrose primária palmar e axilar: revisão sistemática e metanálise

Comparison between high and low levels thoracic sympathectomy for the treatment of palmar and axillary primary hyperhidrosis: systematic review and meta-analysis

Gilmar Felisberto Júnior, ACBC-SP; Cláudio José Rubira; João Paulo Sanches Berumudes; Salum Bueno da-Silveira-Júnior

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):486-492

Resumo PDF PT PDF EN

A hiperidrose primária (HP) é uma condição que, independentemente de sua localização, apresenta grande impacto na qualidade de vida dos indivíduos acometidos. Seu tratamento cirúrgico é feito através da simpatectomia torácica realizada por videotoracoscopia. A padronização da técnica inclui a secção do tronco simpático em diferentes níveis, de acordo com o local dos sintomas. O objetivo desta revisão é avaliar a eficácia da simpatectomia torácica por meio de uma revisão sistemática da literatura, comparando a simpatectomia em diferentes níveis da cadeia simpática.


Palavras-chave: Hiperidrose. Simpatectomia. Cirurgia Torácica Videoassistida. Metanálise.

15 - Cricotireoidostomia de emergência: medida contemporizadora ou via aérea definitiva? Uma revisão sistemática

Emergency cricothyrotomy: temporary measure or definitive airway? A systematic review

Marina Barguil Macêdo; Ruggeri Bezerra Guimarães; Sahâmia Martins Ribeiro; Kátia Maria Marabuco de Sousa

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):493-499

Resumo PDF PT PDF EN

A cricotireoidostomia, por ser um método rápido e, em geral, realizado com sucesso em ambientes pré e intra-hospitalares por profissionais treinados, tem sido amplamente preconizada como a via aérea cirúrgica inicial diante da situação "impossível intubar, impossível ventilar" e é especificamente útil quando a obstrução das vias aéreas ocorre na glote ou em nível supraglótico. Seu uso prolongado é, contudo, controverso. Nesta revisão procuramos avaliar as complicações da cricotireoidostomia de emergência, bem como, a necessidade rotineira de sua posterior conversão para traqueostomia através de pesquisa de estudos publicados sobre cricotireoidostomia de emergência nas bases de dados PubMed, LILACS e SciELO, sem restrição quanto ao ano de publicação. Assim foram identificados 791 estudos, dos quais 20 foram selecionados para leitura do texto integral, e, destes, nove foram incluídos nesta revisão. A taxa de complicações em curto prazo variou de zero a 31,6%, e a de complicações em longo prazo variou de zero a 7,86%. A estenose subglótica foi a principal complicação em longo prazo, relatada em 2,9 a 5% dos procedimentos. A taxa de conversão para traqueostomia variou de zero a 100%. Apesar da incidência reduzida de complicações em longo prazo o baixo nível de evidência dos estudos revisados não permite recomendar a cricotireoidostomia como uma via aérea definitiva segura.


Palavras-chave: Cartilagem Cricoide. Manuseio das Vias Aéreas. Cuidados de Suporte Avançado de Vida no Trauma. Medicina de Emergência Baseada em Evidências.

Nota Técnica

11 - Inversão do segmento fraturado para tratamento das sequelas de fratura do seio frontal

Treatment of frontal bone fracture sequelae through inversion of the bone fragment

Jonathan Ribeiro da Silva; Carlos Fernando de Almeida Barros Mourão; Hernando Valentim da Rocha Júnior; Luiz Fernando Magacho; Guto Fidalgo Daumas Moraes; Nicolas Homsi

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):472-475

Resumo PDF PT PDF EN

O tratamento das fraturas do seio frontal depende das estruturas envolvidas: a parede anterior, a parede posterior e o ducto nasofrontal. Os tratamentos podem variar entre corrigir um defeito na parede anterior até a realização de uma cranialização com obliteração do ducto nasofrontal. O uso da inversão da parede anterior do seio frontal para corrigir o defeito na região fraturada representa uma boa opção de tratamento para os casos de sequelas, já que esta técnica elimina ou reduz a utilização de biomaterial nesta área, e permite avaliação da permeabilidade do ducto nasofrontal por acesso direto. Este trabalho descreve a técnica de inversão do segmento fraturado para tratamento de sequelas de fratura do seio frontal em paciente vítima de acidente motociclístico.


Palavras-chave: Osso Frontal. Fixação de Fratura. Traumatismos Craniocerebrais.

12 - Explorando parâmetros de fluxo em procedimentos de HIPEC

Exploring flow rate selection in HIPEC procedures

Thales Paulo Batista, TCBC-PE; Levon Badiglian Filho; Cristiano Souza Leão

Rev. Col. Bras. Cir. 2016;43(6):476-479

Resumo PDF PT PDF EN

Cirurgia citorredutora avançada e quimioterapia intraperitoneal hipertérmica (i.e.: HIPEC, sigla em inglês) têm se consagrado como promissora abordagem terapêutica multidisciplinar para neoplasias malignas peritoneais. Contudo, dados da literatura corrente são muito heterogêneos em torno de muitos de seus aspectos técnicos, o que demanda algum esforço na busca por padronizações do procedimento. Neste sentido, são apresentados dados de um ensaio clínico pioneiro no Brasil (ClinicalTrials.gov Identifier: NCT02249013), relacionando parâmetros dinâmicos de taxas de fluxo e temperaturas de perfusão nos primeiros casos do estudo, o que pode ajudar na seleção de melhores parâmetros técnicos para procedimentos de HIPEC.


Palavras-chave: Injeções Intraperitoneais. Hipertermia Induzida. Quimioterapia. Neoplasias Peritoneais.

Indexada em:

Copyright 2017 - Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões